Tendências da indústria cosmética: as principais tendências emergentes da cosmetologia

Conheça as principais tendências da indústria cosmética e saiba como isso afeta os produtos

Em agosto do ano passado, participei de um evento chamado Seminário Setorial – ABIHPEC e Estadão, onde assisti uma palestra muito interessante sobre as tendências emergentes para a indústria cosmética. A palestra foi ministrada pela Nina Giglio, que é a especialista em marketing da empresa de previsão de tendências WGSN Latin America.

Nessa palestra, vi que as três principais tendências para a indústria cosmética são: a beleza emocional, a beleza bacteriana e a beleza atlética. Esses pontos podem parecer estranhos à primeira vista, mas nesse artigo eu vou explicar um pouco de cada uma dessas tendências da indústria cosmética, para que você termine a sua leitura sabendo um pouquinho mais sobre o que está por vir nesse mercado tão dinâmico.

 

Beleza emocional

É comprovado pela neurociência que 80% das nossas escolhas, seja na hora de comprar um produto, seja na hora de tomar uma decisão mais importante, são motivadas pela emoção. A biométrica e a neurociência, por consequência, estão sendo cada vez mais convidadas a adentrar o universo cosmético, para que a experiência do consumidor desses produtos seja a melhor possível.[1]

É comprovado que o uso de cosméticos vai muito além da beleza física: esses produtos são altamente capazes de evocar a sensação de bem-estar.[2]

Em um mundo com altos índices de depressão, produtos que sejam capazes de evocar uma melhora de humor, ou mesmo uma sensação boa no consumidor, são produtos que devem ser levados em consideração. A indústria cosmética, portanto, começa a vender emoções ao invés de simples produtos.

Um estudo realizado na Europa[3] mostrou que a satisfação do consumidor é maior quando um produto cosmético evoca sensações boas, de cuidado consigo mesmo, e evita sensações de culpa ou auto-depreciação.

Diversas marcas aproveitaram essa tendência da indústria cosmética e lançaram linhas cosméticas relacionadas às emoções. Essas marcas apostam principalmente em maquiagens. A Lush, por exemplo, possui uma linha de maquiagens com diversas cores, para que a consumidora possa escolher a que mais se adeque ao seu estado de espírito.[4] Já a marca Oh Yeahh! apostou em batons com níveis de serotonina, que é considerado o hormônio da felicidade.[5] Outras marcas, como Givenchy e Guerlain e a brasileira Racco, também apostam, entre outras coisas, na liberação de serotonina e na melhora da qualidade do sono fornecidas pelo seus produtos.[6]

Poderíamos abordar diversos pontos sobre esses cosméticos relacionados à beleza emocional – também chamados de neurocosméticos, mas vamos passar para a próxima tendência da indústria cosmética.

 

Beleza bacteriana

O conjunto de microrganismos que habitam a nossa pele é chamado de microbioma. Esses microorganismos são muito importantes, pois ajudam na proteção e na hidratação da nossa pele, além de evitarem que outros microorganismos, que podem ser prejudiciais, adentrem nosso organismo através da pele (ou mesmo habitem a pele, danificando suas funções). [7]

Os produtores de cosméticos viram no microbioma uma possibilidade de melhorar seus produtos. Assim foi criada essa nova tendência da indústria cosmética: produtos probióticos. Isso quer dizer que estão sendo desenvolvidos produtos que contenham bactérias, extratos de bactérias ou ingredientes que melhorem a atividade dos microrganismos já habitantes da pele, para que problemas como ressecamento e até rosácea sejam amenizados de forma mais natural.[8]

Diversas marcas, como a Mother Dirt[9] (quem assiste meus stories no Instagram já conhece essa marca), Johnson & Johson, L’óreal e P&G[8] também já apostaram nessa tendência da indústria cosmética.

Beleza atlética

Conforme o mundo se torna mais dinâmico e cada vez mais acelerado, as pessoas tendem a querer um estilo de vida mais limpo, desacelerado e livre de estresse. Isso inclui uma alimentação menos industrializada, a opção por produtos cada vez mais vegetalizados e a prática de esportes.[10]

A prática de esportes está aumentando, porém, não existiam produtos que resistissem aos seus efeitos colaterais, como o suor e o aumento da temperatura corporal, por exemplo. Isso levou à última tendência da indústria cosmética que eu vou abordar nesse artigo: a beleza atlética.

Marcas como a Shiseido[11] e a Katherine Natural Cosmetics[12] criaram então cosméticos resistentes a esses efeitos causados pela prática de esportes. Esses cosméticos variam de protetores solares a maquiagens, e podem ajudar quem deseja um estilo de vida fitness, sem abandonar a estética, e, principalmente, a proteção contra aos intensos raios solares.

Quando olhamos em conjunto, essas tendências da indústria cosmética revelam que os consumidores estão ficando mais exigentes, e que os produtos cosméticos devem ser focados mais nos benefícios que podem oferecer para os consumidores, mas sem abandonar a estética e a luxuosidade.

 

Você gostou desse artigo?

Espero que sim e adoraria saber a sua opinião! Existe alguma outra tendência da indústria cosmética que você acha que será relevante daqui um tempo? Comente a sua opinião nos comentários!

O objetivo desse artigo é contribuir para a elevação do nível técnico de profissionais da área. Para qualquer orientação procure sempre um profissional habilitado como um dermatologista ou farmacêutico.

 

Referências:
[1] Queiros, L. [Marcas de beleza se rendem ao charme da neurociência] Instituto Brasileiro de Neuromarketing e Neuroeconomia. Jun 2017.
[2] Araujo, D. [Os cosméticos e o bem-estar]. Forebrain. Dez 2016.
[3] McDougall, A. [Brands can harness ‘emotional science’ to market products to women, report claims]. Cosmetics Design USA. Nov 2011.
[4] Lee, S. [Marca cult de cosméticos Lush reabre no Brasil com spa e sua maior loja no mundo] Fashion Foward. Jun 2014.
[5] Oh Yeahh! loja virtual.
[6] Passos, S. [Neurocosméticos? Entenda o que é isso]. Vila Mulher.
[7] Cardoso, V.M. [O Microbioma Humano] Universidade Fernando Pessoa, Faculdade de Ciências da Saúde. 2015.
[8] Penteado, O. [Bactérias do bem migram para dentro dos cosméticos]. Set 2017.
[9] Whitehouse, L. [Mother Dirt ‘microbiome-friendly’ brand hits Europe] Cosmetics Design Europe. Nov 2017.
[10] Angus, A. [Clean Lifers – Vida Limpa: Uma Tendência de Consumo em 2018] Fev 2018.
[11] [Shiseido revela híbrido de bb cream e protetor solar para beleza atlética] CosméticosBR.
[12] Katherine Natural Cosmétics [Top 10 reasons we invented k-sport beauty]