9 opções de filtros solares para tornar o seu fotoprotetor excepcional

filtros-solares

Conheça algumas opções de filtros solares de alta performance que vão tornar o seu fotoprotetor sinônimo de proteção e sofisticação

 


Se preferir, clique no play e ouça esse artigo.


 

Desde o final do século XIX já havia uma preocupação com a proteção da pele contra a radiação solar, sendo que os primeiros relatos científicos sobre a tentativa do uso de agentes fotoprotetores surgiram nesse período, mas apenas em 1928 o primeiro filtro solar começou a ser comercializado nos Estados Unidos (uma emulsão contendo benzil-salicilato e benzil-cinamato). [1]

Apesar do conhecimento dos efeitos agudos da radiação solar, particularmente a queimadura solar, somente durante a década de 70 do século passadoque se popularizouo uso dos fotoprotetores com a incorporação de diferentes filtros UVB em emulsões.1 Hoje sabemos que para uma melhor eficácia fotoprotetora, o protetor solar deve apresentar em sua composição filtros ultravioleta com espectro de absorção na faixa da radiação UVA e UVB (ou seja, deve ser de amplo espectro de ação), ser fotoestável e ainda ser capaz de distribuir seus ingredientes de forma regular em toda a superfície cutânea. [1,3]

Como a radiação ultravioleta pode provocar diversos efeitos maléficos na pele, os benefícios do uso de fotoprotetores de amplo espectro vão desde a prevenção de queimaduras solares, desordens de pigmentação (manchas) e do envelhecimento da pele até contra o desenvolvimento de ceratoses actínicas e do carcinoma espinocelular. [2,4]

 

 

O grau de proteção atingido pelos protetores pode estar diretamente associado ao maior conhecimento das estruturas com capacidade de absorver e/ou dispersar a radiação solar e das possíveis interações com os diferentes veículos. [5]

O segmento cosmético de protetores solares tem exigido dos formuladores grande aperfeiçoamento técnico e dos fabricantes de matéria-prima, pesquisa e desenvolvimento de novos filtros solares, a fim de oferecer preparações com maior eficácia (produtos com melhor eficiência de proteção, maior estabilidade química e mais acessíveis à população). [5] Na escolha de um agente fotoprotetor, além do FPS, os dados relativos à substantividade (resistência à água), proteção UVA e fotoestabilidade devem ser considerados para uma correta fotoproteção. [1,3]

Neste texto separei diferentes sugestões de filtros solares para você ter no seu laboratório, mostrando as diferenças de cada um deles e suas vantagens. Confira!

 

Filtros UVA e UVB

Os protetores solares contêm filtros (filtros UV) que são moléculas ou complexos moleculares que podem absorver, refletir ou dispersar a radiação UV, ou seja, apresentam a capacidade de interagir com a radiação incidente por meio reflexão, dispersão ou absorção. [2]

Geralmente classificamos os filtros UV em orgânicos e inorgânicos, sendo filtros de efeito químico (filtros químicos) e filtros de efeito físico (filtros físicos), respectivamente. Porém, os processos de absorção e reflexão de radiação são considerados fenômenos físicos desde que não haja uma reação química. Assim, uma molécula absorvedora de radiação UV não necessariamente deve ser chamada de filtro químico. [5]

Geralmente, os compostos orgânicos protegem a pele pela absorção da radiação e os inorgânicos, pela reflexão da radiação. Mas existem no mercado, atualmente, filtros orgânicos que além de absorver, refletem a radiação UV, como o Tinosorb® M. [5]

 

7-passos-para-criar-uma-formulaçaoo-cosmética-horizontal

 

Tinosorb® M

filtros-solares-1
Fonte/Imagem: Technical Datasheet, Tinosorb® M, Broad-spectrum UV absorber, BASF

O Tinosorb® M (INCI Name: Methylene Bis-Benzotriazolyl Tetramethylbutyl-phenol) é um filtro orgânico que proporciona proteção UVA e UVB fotoestável. [6] O MBBT (Tinossob® M), mesmo sendo orgânico, apresenta a capacidade de reflexão e dispersão da radiação, além da capacidade de absorção das radiações UV, comportando-se, desta forma, como um filtro também de efeito físico. [5]Por isso ele é uma excelente opção de filtro para você ter em seu laboratório. Além disso ele é disperso em água e pode ser incorporado à fase aquosa das formulações, ou mesmo ao final da manipulação pois não precisa de aquecimento.Porém, como ele está em dispersão com cerca de 50% é preciso aplicar fator de correção, corrigindo conforme certificado de análise.

 

Tinosorb® S

filtros-solares-2
Fonte/Imagem: Technical Information, Tinosorb® S, Broad-spectrum UV absorber, BASF

O Tinosorb® S (INCI Name: Bis-Ethylhexyloxyphenol Methoxyphenyl Triazine) confere proteção UVA e UVB fotoestável, mas deve ser adicionado à fase oleosa. O BEMT (Tinosorb® S) e uma opção interessante por sua eficiência tanto no UVB como no UVA, fotoestabilidade e como estabilizador de associações com avobenzona. Ele precisa ser disperso em um glicol ou éster emoliente antes de sua incorporação na fase oleosa, pois é insolúvel em água. Tanto o Tinosorb® S quanto o Tinosorb® M, segundo testes in vitro, não apresentam potencial estrogênico, antiestrogênico, androgênico ou antiandrogênico. [7]

 

 

Uvinul® T 150

filtros-solares-3
Fonte/Imagem: Technical Information, Uvinul®, T-Lite™ and Z-COTE® grades, BASF

Seu INCI Name é Ethylhexyl Triazone. É um filtro orgânico UVB derivado de triazina conhecido como octil triazona. Ele é usado para conferir proteção UVB, conforme mostra seu espectro de absorção. A octil triazona confere proteção UVB em baixas concentrações (concentrações até 3% são recomendadas) além de possuir alta fotoestabilidade. É geralmente adicionado na fase oleosa das formulações sendo solúvel em óleos polares, mas óleos apolares, como a parafina líquida, não é adequada para sua solubilização. Sua natureza polar também proporciona uma boa afinidade pela queratina da pele, de modo que as formulações em que é usado são particularmente resistentes à água. Esta propriedade é ainda reforçada pela sua insolubilidade total em água.

Um estudo de 2008 avaliou in vitro a permeação e a distribuição cutânea de dois filtros UV, OMC e Uvinul®T-150, usando uma epiderme reconstituída (RE) e pele de rato (RS). Os resultados mostraram que não houve permeação do Uvinul®T-150 através da RS e da RE. [9]

 

Uvinul A Plus®

filtros-solares-4
Fonte/Imagem: Technical Information, Uvinul®, T-Lite™ and Z-COTE® grades, BASF

Seu INCI Name é Diethylamino Hydroxybenzoyl Hexyl Benzoate. É um filtro orgânico UVA fotoestável, que cobre os comprimentos de onda UVA-I do espectro do UVA. Esse filtro possui uma boa solubilidade em óleos e é compatível com outros ingredientes, por exemplo, TiO2 e ZnO. Ele possui elevado ponto de fusão (54 °C) e deve ser fundido a 70 °C antes de sua utilização. [9]

 

 

Está gostando desse artigo? Cadastre-se abaixo!

 

 

Filtros inorgânicos

Os filtros solares inorgânicos são representados por dois óxidos, ZnO e TiO2 (óxido de zinco e dióxido de titânio). Estes filtros solares são considerados os mais seguros para fotoproteção, pois apresentam baixo potencial de irritação [5] e ausência de permeação [8], sendo recomendados no preparo de fotoprotetores para uso infantil e pessoas com peles sensíveis. Estes dois óxidos metálicos são materiais semicondutores, e os mecanismos de absorção e de desativação envolvem transições entre bandas de valência e de condução do sólido. [5]

Dióxido de titânio e óxido de zinco apresentam características semelhantes e exercem proteção frente à radiação UVA. Ambos não apresentam relevantes propriedades irritantes à pele e potencial de sensibilização. Além disso não possuem penetração cutânea significativa. Um estudo publicado em 2009 demonstrou que o TiO2 e o ZnO não apresentam absorção percutânea. [8]

Porém, quando incorporados às formulações de filtros solares, o ZnO e TiO2 ficam suspensos, e o tamanho das partículas do óxido interfere na eficácia do protetor solar e também na aparência cosmética do produto, sendo que nessas formulações ocorre uma tendência em formar uma película branca sobre a pele, que pode ser esteticamente desagradável. [5]

Uma inovação recente na tecnologia de filtros inorgânicos criou versões micro-particuladas destes óxidos. As partículas são reduzidas, durante o processo de obtenção, a dimensões tais que não absorvam nem espalhem radiação visível, mas absorvam e espalhem a radiação UV, e dessa forma não deixam película perceptível sobre a pele. [5]Exemplos são o Zano® 10 Plus e o T-Lite™ SF-S.

 

Zano® 10 Plus

filtros-solares-5
Fonte/Imagem: Technical Information, Uvinul®, T-Lite™ and Z-COTE® grades, BASF

O Zano® 10 Plus (INCI Name: Zinc Oxide (and) Triethoxycaprylylsilane), é formado por óxido de zinco disperso em silicone, o que melhora a sua incorporação nas formulações. Além disso, possui relativa estabilidade, não reage com filtros orgânicos e é seguro clinicamente (atóxico). A sua combinação com filtros UV orgânicos permite a formulação de fotoprotetores de amplo espectro muito eficazes. Em comparação com o dióxido de titânio, o óxido de zinco fornece proteção UVA adicional (cobre de 290 a 380 nm).

Com o mesmo INCI Name (Zinc Oxide (and) Triethoxycaprylylsilane) existe também no mercado o Z-COTE® HP 1, cujo espectro de absorção encontra-se abaixo:

Z-COTE® HP 1 consiste de aproximadamente 98% de óxido de zinco micronizado e aproximadamente 2% de material de revestimento hidrofóbico (derivado de silicone) e pode ser disperso na fase oleosa da formulação.

Podemos citar também o Z-COTE® MAX™ (INCI Name: Zinc Oxide (and) Dimethoxydiphenylsilane/Triethoxycaprylylsilane Crosspolymer), um óxido de zinco microfino que consiste de aproximadamente 96-99% de óxido de zinco micronizado e 1-4% de revestimento hidrofóbico polar (derivado de silicone), sendo que sua maior vantagem em relação aos demais óxidos de zinco é a sua melhor compatibilidade com espessantes à base de acrilato, como os carbômeros por exemplo.

filtros-solares-6
Fonte/Imagem: Technical Information, Uvinul®, T-Lite™ and Z-COTE® grades, BASF

 

 

T-Lite™ SF-S

filtros-solares-7
Fonte/Imagem: Technical Information, Uvinul®, T-Lite™ and Z-COTE® grades, BASF

O T-Lite™ SF-S (INCI Name: Titanium Dioxide (and) Hydrated Silica (and) Aluminum Hydroxide (and) Dimethicone/Methicone copolymer) é um dióxido de titânio microfino, com apelo de proteção de amplo espectro e transparência em formulações. Fornece ampla proteção UVA e UVB, cobrindo os espectros longo UVA I e curto UVA II. Possui excelente transparência e alta proteção FPS em concentrações acima de 8%. É fácil de dispersar, fotoestável (não catalítico) e compatível com estearatos, além de poder ser usado em temperaturas elevadas (80-100 °C) e alto cisalhamento.

 

Filtros poliméricos -PARSOL® SLX

PARSOL® SLX (INCI Name: Polysilicone 15) é um filtro solar absorvedor de UV baseado em silicone. PARSOL® SLX é o primeiro filtro UVB polimérico que consiste de cromóforos ligados a uma estrutura principal de silicone.

filtros-solares-8
Fonte/Imagem: PARSOL® SLX, DSM

É solúvel em solventes orgânicos de polaridade média e insolúvel em água. Ele é considerado um substituto para o Ethylhexyl Methoxycinnamate, pois estabiliza a avobenzona, pode ser usado em produtos capilares e ajuda na melhora do sensorial das formulações. Seu uso é permitido até 10%, sendo geralmente recomendado de 1% a 5%.

 

Espero que tenha gostado desse artigo e que ele seja útil em seu aprendizado. O objetivo desse artigo é contribuir para a elevação do nível técnico de profissionais da área. Para qualquer orientação procure sempre um profissional habilitado como um dermatologista ou farmacêutico.

 

Referências:
[1] Schalka S, dos Reis V M S. [Fator de proteção solar: significado e controvérsias]. An Bras Dermatol. 2011;86(3):507-15.
[2] Balogh TS, Velasco MVR, Pedriali CA, Kaneko TM, Baby AR. Proteção à radiação ultravioleta: recursos disponíveis na atualidade em fotoproteção. An Bras Dermatol. 2011;86(4):732-42.
[3]Forestier S. [Rafdftionale for sunscreen development.] J Am Acad Dermatol. 2008 May;58(5 Suppl 2):S133-8. doi: 10.1016/j.jaad.2007.05.047.
[4] Cabral LDS et al. [Filtros solares e fotoprotetores mais utilizados nas formulações no Brasil.] Revista Científica do ITPAC, Araguaína, v.4, n.3, Pub.4, julho 2011.
[5] Flor J, Davolos MR, Correa MA. [Protetores solares.] Quim. Nova, Vol. 30, No. 1, 153-158, 2007.
[6] Informação técnica sobre Tinosorb® M e S. Disponível aqui
[7] Ashby J, Tinwell H, Plautz J, Twomey K, Lefevre PA. Lack of binding to isolated estrogen or androgen receptors, and inactivity in the immature rat uterotrophic assay, of the ultraviolet sunscreen filters Tinosorb M-active and Tinosorb S. Regul Toxicol Pharmacol. 2001 Dec;34(3):287-91.
[8] Filipe P, Silva JN, Silva R, Cirne de Castro JL, Marques Gomes M, Alves LC, Santus R, Pinheiro T. Stratum corneum is an effective barrier to TiO2 and ZnO nanoparticle percutaneous absorption. Skin Pharmacol Physiol. 2009;22(5):266-75. Epub 2009 Aug 18.
[9] Informação técnica sobre Uvinul®, T-Lite™ e Z-COTE®. Disponível aqui.